Londres e Suiça

Viagem pela gastronomia viva: LONDRES e SUIÇA

Em mais uma viagem de pesquisas culinárias, desta vez com destino a Londres e Suíça, foram muitas as descobertas!

Logo no aeroporto, já pude tomar uma kombucha no café em frente ao meu portão de embarque, um luxo.

Na estação de trem, a caminho de Zurique/Suiça, um cartaz alertava sobre o impacto do consumo de frango para o desmatamento e expulsão do homem do campo.

E no meio de uma rua movimentada, encontro uma fonte de água de coco… com coco fresco!!!

Pouco tempo na Suíça, e poucos lugares vivos por lá também, fica o registro de um lugar com filosofia vegana:

Rumo ao pais da realeza, o primeiro almoço foi no Tanya´s Café, dentro de um hotel boutique no bairro de Chelsea, em Londres.

De entrada, shots de cúrcuma com gengibre e laranja. Um menu diversificado, com influencias italiana, mexicana e americana. Diferente cardápio para almoço e jantar, sendo esse em forma de menu degustação, com vários pratos em sequencia.

Sobremesa servida em uma tábua rustica de madeira: torta marmorizada de caramelo, cacau e rosas e bombom de limão siciliano.

Pra fazer a digestão, passeio por lojas de ingredientes e equipamentos de cozinha. O Jamie Oliver está em todas as esquinas de Londres: cafés, restaurantes, lojas de produtos, escolas de gastronomia e projetos sociais envolvendo chefs aprendizes e educação para crianças.

Após passeio pela London Eye, o Big Ben já marcava o horário de jantar – ufa!

Quem pensa que viagem culinária é só prazer, bem-vindos à correria para conhecer tudo em pouco tempo!!

Chegando no bairro de Notting Hill, a surpresa mais agradável da viagem: NAMA. Restaurante despretensioso, mas com rigor na seleção e tratamento dos ingredientes, além de preparo e apresentação impecáveis. Sempre fico dividida, sem saber se me apresento como chef ou não, mas nesse dia não resisti e pedi para conhecer o chef do lugar. Mais uma bola dentro: pessoa amável, super acessível e interessado na culinária do Brasil. Claro que não perdi a oportunidade para convidá-lo para conhecer nosso pais e trocar experiências culinárias por aqui.

O jantar foi nababesco: tábua de queijos de entrada, wraps e raviólis de principais. Quando não aguentávamos mais nada, vieram de presente da casa delicias de chocolate vivo com coco. Tivemos que levar pra casa!

E como musica é alimento da alma, uma paradinha para um show do James Taylor, com direito a momento tiete.

Mas acordar cedo é a regra para pegar os melhores produtos nos mercados locais! Lá estava eu, cedinho no Borough Market.

Muito alimento fresco e minimamente processado para novas pesquisas culinárias. Minha mala veio cheiaaaaaaaaaa.

Direito a parar numa loja só de grama de trigo e shots – Ui !!!!

Depois de lá, outro mercado: Covent Garden Market, com suas barraquinhas em uma estrutura suntuosa de ferro e vidro.

Hora do almoço chegando e eu rumo ao Wild Food Café, em Neals Yard.

Ambiente cheio, musica alta, garçons-modelos correndo e sorrindo para todos os lados… Clima de pub inglês, mas com comida viva! O cardápio seguia o lugar: junk food viva. Hambúrgueres, nachos, pizzas e snacks de todo tipo. Além de sorvetes, mousses, chocolates. E ainda ofereciam imersões de detox – Deus me livre de comer essa comida todo dia!!

Depois da orgia gastronômica, com seus altos e baixos, chegou a hora de ir embora no transporte mais charmoso do mundo. Bye Queen!

Special Thanks to my guide and sweet aunt Luciana Castello Branco.

Leave a Reply